quem procura... acha!!

Carregando...

domingo, 27 de julho de 2014

63º quintasoito: HIP HOP: POW LITERA RUA E CONVIDADOS (NESTA QUINTA).

E NO 63º QUINTASOITO, O TEMA É HIP HOP!
 CONTAMOS COM A PRESENÇA DE POW LITERA RUA E CONVIDADOS
PARA O LANÇAMENTO DE SEU ALBUM "P R O C E S S O". 
Bora esquentar o frio com um som firmeza, um bom papo e uma sopinha arretada no Clariô?
É só chegar!
ENTRADA FRANCA!
Paulo Nascimento de Oliveira 40 Anos pseudónimo (Pow Litera-Rua) Militante Ativista da Cultura Hip Hop .. a 24anos, Dentro dEste Movimento, nenhum dos FIM Anos 80 dançava quebrando Nos bailes e eventos de rua Onde residiu, EM Taboão das Serra no bairro não Pirajuçara Onde o palco da praça Luiz Gonzagafoi o marco Zero0 que Hip hop los Taboão, era Frequentador Ativo não Metro São Bento Onde FOI SUA Escola não ANO DE 94, EM 92 FOI Integrante fazer Grupo de rap Atitude Fatal, Que terminou los 98, 2000 ingressou los se não GRUPO Artefato Bombardeio Que da Durou 7 anos los SUA Formação de verdade, E hum dos Fundadores fazer Grupo Versos los Brisa Que ESTA NA ativa.é Frequentador de saraus um 9 anos de Como POR Exemplo o Sarau fazer Binho, Onde pratica Atividades los Bibliotecas, Escolas de e los Todas Atividade s desenvolvidas Pela Cidade oo fóruns dela. Em Seu Trabalho TEM influencias com rimas from da Literatura de cordel, Ragga, Rap Repente e Coco de Embolada Entre OUTROS Estilos Musicais sem perder a essencia Opaco E o Hip Hop. , POW Litera Rua DESENVOLVE Trabalhos Sociais Dentro Das Comunidades na Cidade de Taboão da Serra.e Região, com Poesia e rimas.
Trabalha com Oficinas de MC (Universo do Canto Falado), misturando OS Elementos Dentro da Palavra sem perder o Foco do Ritmo e poesia Opaco E o rap na SUA pura Essência.

63º QUINTASOITO: 
HIP HOP
DIA 31 DE JULHO | QUINTA FEIRA | 20HS
ESPAÇO CLARIÔ : 
Rua Santa Luzia, 96, Taboão da Serra, SP
11 4701 8401
ENTRADA FRANCA!

CLIPE "PEDINTE" - CLARIANAS

E no ultimo dia 20, o Espaço Clariô foi tomado por chão de terra, barracos de madeira e a presença de parceiros, mais que bem vindos, para a gravação do Clipe da canção:
"PEDINTE" das CLARIANAS. 
Dia histórico, de muita beleza, registrado pelo sensível João Claudio Senna. 
Em breve o clipe, dirigido por KENNY ROGERS, estará nas paradas de sucesso para ser prestigiado e compartilhado por todos! 
 

Aqui, nossa terna gratidão à todos que fizeram do nosso sonho, realidade:
Vitor da Trindade, Capulanas Arte Negra, Kenny Rogers, Renan Andrews, Leninha Silva, Michele Andrade, Kleberton Moura Dos Santos, Adriana Miranda, Fernanda Mourão, Jessika Mirella, Rafael Barbarino, Lourdes Oliveira, Rafaela Tamires, Tula Pilar,  Fefe Camilo, Giovanino Di Ganzá, Raquel Trindade, João Claudio de Sena, Priscila Preta, Débora Marçal, Flávia Rosa, Carol Yewaci, Adriana Paixão, Rubens Oliveira Martins, Rager Luan, Claudia Schapira, Daniel Fagundes, Nino, Elen, Renan, Dandara, Pedro Lucas, Núcleo de Comunicação Alternativa, Instituto Criar de TV, Cinema e Novas Mídias Sarau de Imagens, nossas vizinhas queridas, 
Grupo Clariô de Teatro: Alexandre Souza (João), Martinha Soares, Naloana Lima, Naruna Costa, Washington Gabriel, Will Damas e, Michele Andrade, de lá, Mário Pazini!

Abaixo, algumas imagens de João.
Ouça aqui a canção "PEDINTE". 
axé!

sexta-feira, 4 de julho de 2014

hoje tem "OSSÉ" - show de VITOR DA TRINDADE no ESPAÇO CLARIÔ (Entrada Franca)!!!

E HOJE, SEXTA FEIRA  COM A SELEÇÃO GANHANDO OU NÂO, HAVERÁ 
SHOW DO VITOR DA TRINDADE NO ESPAÇO CLARIÔ!
O S S É 

Vitor da Trindade

Vitor da Trindade
Vitor Da Trindade foi iniciado na arte por seus pais e avós, aprendendo as danças e ritmos tradicionais do Brasil. Foi professor na Escola Municipal de Música do Distrito de Schoneberg/Alemanha e do Groove Zentrum fur Perkussion/Alemanha. Recebeu vários prêmios, entre eles, o de Intercâmbio Cultural 2008 (Samba Syndrom). Apresentou-se como músico e solista, em 04 continentes, várias capitais e cidades do interior do Brasil, com o Trio “Revista do Samba” e o show solo “Cantando Solano Trindade”.
Integrantes:
E-mail: contatofamiliatrindade@gmail.com
Origem: Embu - sp (Brasil)
Residência: Embu - sp (Brasil)
Estilo
Musica Afro Brasileira


SHOW de 
VITOR DA TRINDADE
 lançamento do novo projeto: 
OSSÉ
Sexta Feira-04/07/14
21h
ESPAÇO CLARIÔ
rua Santa Luzia, 96 - Vila Santa Luzia - Taboâo da Serra
11 4701 8401
ENTRADA FRANCA!

segunda-feira, 23 de junho de 2014

62º QUINTASOITO - VIVA SÃO JOÃO! (convidado: violeiro e Sanfoneiro RICARDO DUTRA + Geraldo Magela)


Ricardo Dutra no Show “Viva São João” 
O músico Ricardo Dutra  é compositor, artista educador, pesquisador e multi-instrumentista. 
Suas pesquisas a respeito da cultura popular tradicional brasileira traduzem-se em suas composições, 
que trazem referências das expressões populares de diversas regiões do Brasil, 
como o bumba meu boi, a ciranda, a folia de reis, o coco, o forró, entre outras. 
Utilizando a viola e a sanfona, Ricardo Dutra faz um repertório especial para esta apresentação, 
que passeia entre os gêneros caipira e nordestino, 
com canções tradicionais das festas juninas e composições do próprio músico.

O show contará com as participações do músico: GERALDO MAGELA e do Grupo CANDEARTE!
 
VENHA CELEBRAR COM A GENTE!! 
PARTICIPE DA QUADRILHA. VENHA COM SEU FIGURINO!!!
Entrada: Franca
Censura: Livre

62º QUINTASOITO 
DIA 26 DE JUNHO DE 2014
QUINTA FEIRA - 20 HORAS
ESPAÇO CLARIÔ: 
RUA SANTA LUZIA, 96
VILA SANTA LUZIA - TABOAO DA SERRA SP
11 4701 8401

segunda-feira, 26 de maio de 2014

61º QUINTASOITO: GUMBOOT DANCE BRASIL NO ESPAÇO CLARIÔ!



E no mês e maio, bastante simbólico para o Brasil em termos de África, o Espaço Clariô recebe, no 61º QUINTASOITO, o grupo 
GUMBOOT DANCE BRASIL, 
fundado pelo coreógrafo RUBENS OLIVEIRA MARTINS.
É um trabalho muito específico, que une corpo e musicalidade, a fim de construir outros modos de comunicação. 
Força. Sensibilidade. Beleza. Luta. África. Brasil. 
Tudo junto e misturado, entre corpos e botas, que fazem o chão tremer!
Venham! 
A ENTRADA É FRANCA! 
Após a apresentação, a gente toma uma sopinha e bate um papo com os bailarinos! 

(E ali, abaixo, mais informações sobre o Gumboot Dance Brasil)

O Grupo Gumboot Dance Brasil começou em 2008, através da pesquisa do bailarino e coreografo Rubens Oliveira Martins sobre a dança GUMBOOT, que nasceu nas minas de ouro e diamante da ÁFRICA DO SUL, no século XIX.    Homens de 7 diferentes regiões do continente Africano foram levados para trabalhar nas minas. Sem ter como se comunicar uns com os outros e por conta do ambiente de trabalho opressivo criado pelos donos das minas, nasceu uma forma de comunicação através das batidas nas botas de borracha, usadas pelos trabalhadores.  Os  códigos  criados se transformaram em uma dança, que foi difundida para o mundo até chegar ao Brasil.
O Grupo Gumboot Dance Brasil estréia este ano seu segundo espetáculo e sua trajetória de 6 anos passou por vários espaços de dança como: SESC-SP, Sala Crisantempo, Centro Cultural São Paulo. Além de ter a parceira com grupos como AfroElectro.

FICHA TÉCNICA:
Rubens Oliveira - Direção Geral 
Lenna Bahule - Voz

BAILARINOS:
Washington Gabriel
Pamela Teixeira
Diego Henrique 
Samira Marana
Munique Mendes
Danilo Nonato
Anita Gritsch

Músicos:
Mauricio Oliveira - Sax 
Keleson Oliveira - Baixo

61º QUINTASOITO: GUMBOOT DANCE BRASIL
DIA 29 DE MAIO DE 2014 - QUINTA FEIRA - 20H
ESPAÇO CLARIÔ: 
Rua Santa Luzia, 96 - Taboão da Serra - SP
Prox. ao Hospital Family - Extra Taboão
Fone: 11 4701 8401 - 11 9 9621 6892 



quinta-feira, 8 de maio de 2014

CLARIANAS fazem show GIRANDÊRA no SESI CAMPINAS e na VIRADA CULTURAL!!!

"Quando ouvir a cigarra cantar, 
Lembra que o sol vai raiar
De manhã 
Na beirinha do mar".

E em maio, Clarianas retomam com muita força sua GIRANDÊRA!

DIA 16 de maio, faremos SESI CAMPINAS  e 
dia 17, abriremos o palco CULTURA PERIFÉRICA na VIRADA CULTURAL!!
Venham cantar conosco!!

VEJAM: 

Girandêra, o Canto Que Precisa Ser Contado 
L – Livre para todos os públicos
Com um repertório de quinze obras autorais e uma do cantor e compositor Chico César, assim como no CD, o grupo abre uma janela para o amplo universo sonoro de raiz, que vai do aboio sertanejo ao samba de roda, passa pelas brincantes de coco, ladainhas do catolicismo popular, cânticos indígenas, maracatu-baque-virado, baião, rezas e tambores. Sempre pontuado por vozes que resgatam a tradição das mulheres cantadeiras, canções marcadas por conteúdos recheados de verdades contundentes sobre a realidade do povo. A apresentação tem início com uma sonoridade nativa, poética, o que os artistas entendem por chegança reflexiva. Aos poucos cresce, verticalizando o protesto. O Clarianas segue numa espiral ascendente, unindo suas vozes aos tambores, poesia e teatralidade, até desembocar com a plateia em um grande festejo que celebra a Girandêra.
Popular, 80 min
Voz e percussão: Martinha Soares, Naloana Lima e Naruna Costa | Violibeca e violão: Carla Raiza | Percussão: Fefê Camilo | Músicas: Naruna Costa e Naloana Lima | Direção musical e arranjos: Naruna Costa e Giovani di Ganzá | Direção de palco: Mario Pazini | Figurino e espaço cenográfico: Leandro Benites | Iluminação: Alexandre Souza | Produção: Grupo Clariô de Teatro

Informações
 SESI PROJETOS LOCAIS
MÚSICA
ENTRADA GRATUITA 
SESI CAMPINAS I/AMOREIRAS16 DE MAIO, ÀS 20H 


***
VIRADA CULTURAL 
CLARIANAS DIA 17/ SABADO/ 18 HORAS
(VEJA aqui A PROGRAMACÃO COMPLETA)

segunda-feira, 28 de abril de 2014

CLARIÔ na ARGENTINA e em PERNAMBUCO simultaneamente.


É isso mesmo gente. 
Saudade sim, tristeza não. O Clariô não pode parar!

Clariô, nesta primeira semana de maio, será representado, simultaneamente em Pernambuco e na Argentina. 
Naloana Lima, embarcou hoje com o SARAU DO BINHO para a terra dos hermanos, participar da 40ª Feira do Livro de Buenos Aires 
amanhã, Naruna Costa, desce em Pernambuco, para participar do CINE PE, festival raçudo de cinema internacional, que exibirá o filme: "MUNDO DESERTO DE ALMAS NEGRAS", dirigido por Ruy Veridiano, e estrelado por Sidney Santiago (Cia os Crespos), Naruna e Will Damas (Clariô). 
Abaixo, detalhes. 

São Paulo leva literatura da periferia à Feira do Livro de Buenos Aires
(Guido Carelli Lynch
Do Clarín, em Buenos Aires)

A língua é o muro impenetrável que separa o Brasil do resto do continente. É uma barreira mais forte que os interesses econômicos protecionistas que de vez em quando afloram deste lado da fronteira ou do outro.
Dificilmente a participação de São Paulo como cidade convidada de honra na 40ª Feira do Livro de Buenos Aires será suficiente para derrubar esse muro, mas a comitiva de escritores, sociólogos, músicos e editores paulistas servirá talvez para erguer uma ponte entre as duas cidades com mais oferta cultural da América do Sul.
A proposta da megalópole brasileira é variada e inclui autores consagrados como o multimídia Arnaldo Antunes –o mais conhecido pelos hermanos–, Marçal Aquino ("Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios"), Andréa del Fuego ("Os Malaquias") ou Ricardo Lísias.
Mas o foco estará no que os próprios paulistas e agitadores culturais brasileiros chamam de "cultura periférica" e "literatura marginal". Trata-se de um grupo de autores que, em sua maioria, vive em favelas ou zonas marginais da cidade e que ganharam visibilidade nos saraus, o fenômeno de grupos que recitam poesia (com ou sem música) e que explodiu primeiro nos bairros mais pobres da cidade, entre 2001 e 2002, e se espalhou pelo resto do Brasil e dos outros setores sociais. Reginaldo Ferreira da Silva, mais conhecido como Ferréz, o nome com o qual se transformou em best–seller, é a cara mais conhecida desses grupos.
O autor de "Manual Prático do Ódio" será sem dúvida um dos pontos fortes da feira: tem discurso e uma literatura potente. Dias atrás, em São Paulo, ele disse ao "Clarín" que "os autores brasileiros da classe média estão deprimidos, só pensam no rivotril". Essa tensão subjacente também virá a Buenos Aires. Ferréz compartilhará mesa com outro escritor consagrado, Marcelino Freire, autor de "Contos Negreiros", e também emergente da literatura marginal, que afirma: "a grande maioria dos autores do mainstream torcem o nariz para os que vêm da periferia".
Festivos e catárticos, próximos do hip–hop, 15 dos 150 grupos de saraus que convivem em São Paulo virão à Feira. "O que se buscou foi inverter o tradicional: colocar a periferia no centro e o mais consagrado na periferia", explica Luiz Bagolin, diretor da Biblioteca Mário de Andrade, a segunda mais importante do Brasil, e o grande responsável pela coordenação da programação paulistana.
São Paulo terá um stand próprio no pavilhão amarelo da Rural, com uma superfície de 144 metros quadrados. A decoração estará a cargo do coletivo JAMAC, coordenado por Mônica Nador, artista importante na cena de São Paulo, que trocou a pintura pelo aerossol e os museus pelos projetos sociais e artísticos na rua. Seus enormes quadros de seis metros de comprimento por 1,5 metro de largura envolverão o stand. A pesquisadora argentina Lucía Tennina apresentará ali sua nova antologia de saraus.
A programação brasileira, porém, não se limitará ao edifício da feira. O Malba, o cine Gaumont e até a discoteca Niceto terão shows e apresentações.
A única ironia é que, com tamanha aposta pela integração regional, as restrições alfandegárias não permitirão a entrada no país de um grande volume de livros brasileiros, como avisou Juca Ferreira, secretário municipal de Cultura. Por enquanto, será preciso se contentar com os autores.

Lucia Tenina:

Quiero compartir (y que compartan!) la alegría de informar que este martes a las 18 hs en el Stand de San Pablo de la Feria y el miércoles a las 20 hs en La Cazona De Flores va a estar presentándose Saraus. Movimiento/Literatura/Periferia/São Paulo. Se trata de un libro que organicé, compilé y traduje por Tinta Limón Ediciones, que pretende ofrecer a los lectores argentinos panorama del Movimiento de Literatura Marginal de San Pablo, que coincidentemente es el invitado especial en la Feria Internacional del Libro de Buenos Aires [Sitio Oficial] este año. Les adjunto la hermosa tapa que hizo Diego Maxi Posadas (Ricardo Reyes). Hay fotos de Léo Guma y João Claudio de Sena, un grafiti de Beto Silva hecho especialmente para el libro. Les aseguro que además de un libro interesantísimo y único en su especie, es un objeto bonito.
Agradezco a cada uno de los autores que confiaron en el proyecto y autorizaron la publicación de sus textos, desde ya que sin ellos este proyecto no existiría, a Beto Silva por el grafiti, a Guma y JC por las fotos, a los de Tinta Limón por el aprendizaje y el lujo que significó editar con ustedes (Igna Gago, Andres Bracony, Mario Santucho + la asesoría deNatalia Osorio Portolés y Santiago Sburlatti), a mi compañero Emiliano Fuentes Firmani que acompañó y aportó en cada etapa del libro, a Juanita, que llegó en el medio del proceso para llenar todo de magia, a mis viejos por apoyarme siempre en todo con respeto y amor, a Clarisa Chervin por una de las fotos, Érica Peçanha que aportó sus hipótesis en el armado del libro (sin su investigación nada de esto existiría),a Gonzalo Aguilar por ser mi director,a Simone Silva , quien guió todos mis pasos por San Pablo, a Heloísa Buarque de Hollanda, que aportó un texto suyo para este libro y a la Prensa que va a cubrir las presentaciones con reseñas increíbles! Autores: Primera Parte: Poeta Sérgio Vaz, Binho, Elizandra Souza , Ferréz Escritor,Alessandro BuzoMarco Antonio Iadocicco (Marco Pezão), Dinha Maria Nilda, Serginho Poeta, Sacolinha, Allan da Rosa, GOG Segunda Parte: Michel Yakini, Brnua Ribeiro, Fuzzil DeeantoLuan Luando Guarani KaiowáZinho Trindade IIVagner SouzaRaquel AlmeidaAlisson da PazAmauri Ogã NiluLids SikeleliRodrigo CiríacoAugusto CerqueiraRodrigo Moreira CamposJoao Do Nascimento Santos NascimentoTula FerreiraSonia Regina BischainRenan InquéritoDugueto Shabazz, Samantha Biotti Neves,Priscila PretaRose DoreaGiovani BaffôAkins KinteFernando Ferrari
***
Enquanto isso, em Pernambuco::
Thriller político numa São Paulo racialmente invertida
Atores: Sidney Santiago e Naruna Costa - Filme Mundo Deserto de Almas Negras
Mundo Deserto de Almas Negras, primeiro longa-metragem do diretor paulista Ruy Veridiano, terá estreia nacional na noite da terça-feira (29) na Mostra Festival de Cinema de Ficção Internacional, no Teatro Guararapes, Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda.
Trata-se de um thriller político que se passa em uma São Paulo racialmente invertida, onde o centro rico é negro e a periferia é branca e pobre. É a história de um advogado que topa entregar celulares em um presídio para um membro da "Fundação do Crime", é assaltado e passa a ser perseguido pela "Fundação", no dia em que esta ataca a cidade.
Segundo uma das produtoras do longa, Renata Pagliuso, o filme foi feito “na raça”, de forma independente. “A direção de arte, do artista plástico Pedro di Pietro, é um dos pontos altos da produção, com a inversão dos vetores raciais. Brincamos com a ideia de um novo estilo para as elites do filme que substitui a histeria neoclássica das nossas elites, o estilo ‘neo-nigeriano’”.
A produtora antecipa que todas as referências linguísticas, culturais e arquitetônicas da história são baseadas em uma África utópica. Ruy Veridiano assina também o roteiro e a produção, essa feita com Fernando Chiari, além de Renata. A trilha sonora é do DJ Zegon, ex Planet Hemp e atual Tropikillaz e N.A.S.A. No elenco, Sidney Santiago, Naruna Costa, Renaldo Taunay e Marília Moreira.
Confira aqui o trailer.